Oração do Amor de São Bartolomeu

Senhor,
Estou em oração.
Eu quero te pedir o dom do amor.
Eu não quero odiar as pessoas, nem julgar, nem jogar pedras.
Eu não quero ser o acusador.
Eu não quero ser hipócrita em apontar os erros dos outros como se eu não tivesse erros.
Eu quero ser capaz de amar.
Um amor que vê o essencial e não as aparência. Um amor que acolhe e cuida.

Eu quero ter um olhar de esperança para que o meu
olhar seja capaz de enxergar um mundo novo e, ao
de enxergar esse mundo, ajudar o meu irmão a construir um nova história.

Obrigado, Senhor, pelo perdão.
Obrigado, Senhor, pela esperança.
Obrigado, Senhor, por me perdoares e por me ensinares a perdoar os meus irmãos.
Obrigado, Senhor, por ouvires esta oração.

Amém

Prece Milagrosa de Graças para Escrava Anastácia

Vemos que algum algoz fez da tua vida um martírio,
violentou tiranicamente a tua mocidade,
vemos também no teu semblante macio,
do teu rosto suave, tranquilo,
a paz que os sofrimentos não conseguiram perturbar.

Isso quer dizer: eras pura, superior, tanto assim
que Deus levou-te para as planuras do Céu e deu-te
o poder de fazeres curas, graças e milagres mil.
Anastácia pedimos-te… roga por nós, proteja-nos,
envolve-nos no teu manto de graças e com teu olhar
bondoso, firme, penetrante, afasta de nós
os males e os maldizentes do mundo.

Tudo que pedimos por nosso Senhor Jesus Cristo
na unidade do Espírito Santo. Amém

Todas as manhãs, antes de sair para o trabalho, olhe para Anastácia, peça-lhe suas graças, que tudo correrá bem para você.

Oração para Nossa Senhora

Querida Mãe!
Vós, que nos amais e nos guiais todos os dias;
Vós, que sois a mais bela das Mães,
a quem eu amo com todo o coração!
Eu Vos peço, mais uma vez.
que me ajudeis a alcançar esta graça,
por mais dura que ela seja!
(Pede-se a Graça).

Sei que Vós me ajudareis
e me acompanhareis sempre,
até a hora de minha morte.
Amém!
Reza-se, em seguida, um Pai Nosso e uma Ave-Maria.

Salmo 144: Ações de graças pela proteção de Deus

Salmo de Davi.

  1. Bendito seja o SENHOR, rocha minha, que me adestra as mãos para a batalha e os dedos, para a guerra;
  2. minha misericórdia e fortaleza minha, meu alto refúgio e meu libertador, meu escudo, aquele em quem confio e quem me submete o meu povo.
  3. SENHOR, que é o homem para que dele tomes conhecimento? E o filho do homem, para que o estimes?
  4. O homem é como um sopro; os seus dias, como a sombra que passa.
  5. Abaixa, SENHOR, os teus céus e desce; toca os montes, e fumegarão.
  6. Despede relâmpagos e dispersa os meus inimigos; arremessa as tuas flechas e desbarata-os.
  7. Estende a mão lá do alto; livra-me e arrebata-me das muitas águas e do poder de estranhos,
  8. cuja boca profere mentiras, e cuja direita é direita de falsidade.
  9. A ti, ó Deus, entoarei novo cântico; no saltério de dez cordas, te cantarei louvores.
  10. É ele quem dá aos reis a vitória; quem livra da espada maligna a Davi, seu servo.
  11. Livra-me e salva-me do poder de estranhos, cuja boca profere mentiras, e cuja direita é direita de falsidade.
  12. Que nossos filhos sejam, na sua mocidade, como plantas viçosas, e nossas filhas, como pedras angulares, lavradas como colunas de palácio;
  13. que transbordem os nossos celeiros, atulhados de toda sorte de provisões; que os nossos rebanhos produzam a milhares e a dezenas de milhares, em nossos campos;
  14. que as nossas vacas andem pejadas, não lhes haja rotura, nem mau sucesso. Não haja gritos de lamento em nossas praças.
  15. Bem-aventurado o povo a quem assim sucede! Sim, bem-aventurado é o povo cujo Deus é o SENHOR!

Salmo 116: Salmo de ações de graças

  1. Amo o SENHOR, porque ele ouve a minha voz e as minhas súplicas.
  2. Porque inclinou para mim os seus ouvidos, invocá-lo-ei enquanto eu viver.
  3. Laços de morte me cercaram, e angústias do inferno se apoderaram de mim; caí em tribulação e tristeza.
  4. Então, invoquei o nome do SENHOR: ó SENHOR, livra-me a alma.
  5. Compassivo e justo é o SENHOR; o nosso Deus é misericordioso.
  6. O SENHOR vela pelos simples; achava-me prostrado, e ele me salvou.
  7. Volta, minha alma, ao teu sossego, pois o SENHOR tem sido generoso para contigo.
  8. Pois livraste da morte a minha alma, das lágrimas, os meus olhos, da queda, os meus pés.
  9. Andarei na presença do SENHOR, na terra dos viventes.
  10. Eu cria, ainda que disse: estive sobremodo aflito.
  11. Eu disse na minha perturbação: todo homem é mentiroso.
  12. Que darei ao SENHOR por todos os seus benefícios para comigo?
  13. Tomarei o cálice da salvação e invocarei o nome do SENHOR.
  14. Cumprirei os meus votos ao SENHOR, na presença de todo o seu povo.
  15. Preciosa é aos olhos do SENHOR a morte dos seus santos.
  16. SENHOR, deveras sou teu servo, teu servo, filho da tua serva; quebraste as minhas cadeias.
  17. Oferecer-te-ei sacrifícios de ações de graças e invocarei o nome do SENHOR.
  18. Cumprirei os meus votos ao SENHOR, na presença de todo o seu povo,
  19. nos átrios da Casa do SENHOR, no meio de ti, ó Jerusalém. Aleluia!

Salmo 67: As nações rendem graças

Ao mestre de canto. Para instrumentos de cordas. Salmo. Cãntico.

  1. Seja Deus gracioso para conosco, e nos abençoe, e faça resplandecer sobre nós o rosto;
  2. para que se conheça na terra o teu caminho e, em todas as nações, a tua salvação.
  3. Louvem-te os povos, ó Deus; louvem-te os povos todos.
  4. Alegrem-se e exultem as gentes, pois julgas os povos com eqüidade e guias na terra as nações.
  5. Louvem-te os povos, ó Deus; louvem-te os povos todos.
  6. A terra deu o seu fruto, e Deus, o nosso Deus, nos abençoa.
  7. Abençoe-nos Deus, e todos os confins da terra o temerão.

Salmo 9: Ações de graças

Ao mestre de canto, segundo a melodia “Amorte para o filho”. Salmo de Davi

  1. Louvar-te-ei, SENHOR, de todo o meu coração; contarei todas as tuas maravilhas.
  2. Alegrar-me-ei e exultarei em ti; ao teu nome, ó Altíssimo, eu cantarei louvores.
  3. Pois, ao retrocederem os meus inimigos, tropeçam e somem-se da tua presença;
  4. porque sustentas o meu direito e a minha causa; no trono te assentas e julgas retamente.
  5. Repreendes as nações, destróis o ímpio e para todo o sempre lhes apagas o nome.
  6. Quanto aos inimigos, estão consumados, suas ruínas são perpétuas, arrasaste as suas cidades; até a sua memória pereceu.
  7. Mas o SENHOR permanece no seu trono eternamente, trono que erigiu para julgar.
  8. Ele mesmo julga o mundo com justiça; administra os povos com retidão.
  9. O SENHOR é também alto refúgio para o oprimido, refúgio nas horas de tribulação.
  10. Em ti, pois, confiam os que conhecem o teu nome, porque tu, SENHOR, não desamparas os que te buscam.
  11. Cantai louvores ao SENHOR, que habita em Sião; proclamai entre os povos os seus feitos.
  12. Pois aquele que requer o sangue lembra-se deles e não se esquece do clamor dos aflitos.
  13. Compadece-te de mim, SENHOR; vê a que sofrimentos me reduziram os que me odeiam, tu que me levantas das portas da morte;
  14. para que, às portas da filha de Sião, eu proclame todos os teus louvores e me regozije da tua salvação.
  15. Afundam-se as nações na cova que fizeram, no laço que esconderam, prendeu-se-lhes o pé.
  16. Faz-se conhecido o SENHOR, pelo juízo que executa; enlaçado está o ímpio nas obras de suas próprias mãos.
  17. Os perversos serão lançados no inferno, e todas as nações que se esquecem de Deus.
  18. Pois o necessitado não será para sempre esquecido, e a esperança dos aflitos não se há de frustrar perpetuamente.
  19. Levanta-te, SENHOR; não prevaleça o mortal. Sejam as nações julgadas na tua presença.
  20. Infunde-lhes, SENHOR, o medo; saibam as nações que não passam de mortais.