Oração de pedido ao Menino Jesus de Praga

Ó Menino Jesus, a Vós recorro e vos suplico pela intercessão de Vossa Santíssima Mãe, assisti-me nesta necessidade (pede-se a graça), porque creio firmemente que Vossa Divindade pode me socorrer.

Espero com toda confiança obter Vossa santa graça. Amo-vos de todo meu coração e com todas as forças de minh’alma. Arrependo-me sinceramente de todos os meus pecados, e vos imploro, ó bom Jesus, que me fortaleceis para que eu possa ser vitorioso. Proponho-me a não vos ofender e me ofereço a Vós, dispondo-me a sofrer antes de fazer-vos sofrer.

Doravante, quero servir-vos com toda fidelidade, e por Vosso amor, ó Menino Deus, amarei a meu próximo como a mim mesmo. Menino onipotente, Senhor Jesus, mais uma vez vos suplico que me atendeis nesta necessidade (apresenta-se o pedido). Concedei-me a graça de vos possuir eternamente, na companhia de Maria Santíssima e São José, para que possa vos adorar com todos os anjos na Corte Celestial.

Amém.

Oração Novena do Menino Jesus de Praga

Ó Jesus que dissestes: “Pedi e Recebeis. Procurai a Achareis, Batei e Abrir-se-vos-á”; com muita esperança bato à porta do vosso Coração e confiante peço a vossa divina graça. Pela intercessão de Maria, Vossa Mãe Santíssima, atendei-me Senhor! Concedei-me a graça que humildade voz peço (Fazer o pedido).

Ó Jesus que prometestes: “Tudo o que pedirdes ao meu Pai, em meu nome, Ele vo-lo concederá”; a Deus, vosso Pai e meu Pai Celestial, apresento minha a oração. Intercedei, Senhor, junto ao Pai de bondade e Deus de toda consolação, para que Ele ouça, nesta hora, a minha súplica (Fazer o pedido).

O Jesus que afirmastes: “Passarão o Céu e a Terra, mas minhas palavras não hão de passar”; confio em vossa promessa, Senhor e espero que, pelo vosso poder e imensa bondade, me haveis de conceder a graça que vos peço neste momento (Fazer o pedido).

(Rezar um Pai Nosso, uma Ave Maria e um Glória ao Pai).

Salmo 72: O rei justo e o seu reinado eterno

Salmo de Salomão

  1. Concede ao rei, ó Deus, os teus juízos e a tua justiça, ao filho do rei.
  2. Julgue ele com justiça o teu povo e os teus aflitos, com eqüidade.
  3. Os montes trarão paz ao povo, também as colinas a trarão, com justiça.
  4. Julgue ele os aflitos do povo, salve os filhos dos necessitados e esmague ao opressor.
  5. Ele permanecerá enquanto existir o sol e enquanto durar a lua, através das gerações.
  6. Seja ele como chuva que desce sobre a campina ceifada, como aguaceiros que regam a terra.
  7. Floresça em seus dias o justo, e haja abundância de paz até que cesse de haver lua.
  8. Domine ele de mar a mar e desde o rio até aos confins da terra.
  9. Curvem-se diante dele os habitantes do deserto, e os seus inimigos lambam o pó.
  10. Paguem-lhe tributos os reis de Társis e das ilhas; os reis de Sabá e de Sebá lhe ofereçam presentes.
  11. E todos os reis se prostrem perante ele; todas as nações o sirvam.
  12. Porque ele acode ao necessitado que clama e também ao aflito e ao desvalido.
  13. Ele tem piedade do fraco e do necessitado e salva a alma aos indigentes.
  14. Redime a sua alma da opressão e da violência, e precioso lhe é o sangue deles.
  15. Viverá, e se lhe dará do ouro de Sabá; e continuamente se fará por ele oração, e o bendirão todos os dias.
  16. Haja na terra abundância de cereais, que ondulem até aos cimos dos montes; seja a sua messe como o Líbano, e das cidades floresçam os habitantes como a erva da terra.
  17. Subsista para sempre o seu nome e prospere enquanto resplandecer o sol; nele sejam abençoados todos os homens, e as nações lhe chamem bem-aventurado.
  18. Bendito seja o SENHOR Deus, o Deus de Israel, que só ele opera prodígios.
  19. Bendito para sempre o seu glorioso nome, e da sua glória se encha toda a terra. Amém e amém!
  20. Findam as orações de Davi, filho de Jessé.

Salmo 71: Súplicas de um ancião

  1. Em ti, SENHOR, me refugio; não seja eu jamais envergonhado.
  2. Livra-me por tua justiça e resgata-me; inclina-me os ouvidos e salva-me.
  3. Sê tu para mim uma rocha habitável em que sempre me acolha; ordenaste que eu me salve, pois tu és a minha rocha e a minha fortaleza.
  4. Livra-me, Deus meu, das mãos do ímpio, das garras do homem injusto e cruel.
  5. Pois tu és a minha esperança, SENHOR Deus, a minha confiança desde a minha mocidade.
  6. Em ti me tenho apoiado desde o meu nascimento; do ventre materno tu me tiraste, tu és motivo para os meus louvores constantemente.
  7. Para muitos sou como um portento, mas tu és o meu forte refúgio.
  8. Os meus lábios estão cheios do teu louvor e da tua glória continuamente.
  9. Não me rejeites na minha velhice; quando me faltarem as forças, não me desampares.
  10. Pois falam contra mim os meus inimigos; e os que me espreitam a alma consultam reunidos,
  11. dizendo: Deus o desamparou; persegui-o e prendei-o, pois não há quem o livre.
  12. Não te ausentes de mim, ó Deus; Deus meu, apressa-te em socorrer-me.
  13. Sejam envergonhados e consumidos os que são adversários de minha alma; cubram-se de opróbrio e de vexame os que procuram o mal contra mim.
  14. Quanto a mim, esperarei sempre e te louvarei mais e mais.
  15. A minha boca relatará a tua justiça e de contínuo os feitos da tua salvação, ainda que eu não saiba o seu número.
  16. Sinto-me na força do SENHOR Deus; e rememoro a tua justiça, a tua somente.
  17. Tu me tens ensinado, ó Deus, desde a minha mocidade; e até agora tenho anunciado as tuas maravilhas.
  18. Não me desampares, pois, ó Deus, até à minha velhice e às cãs; até que eu tenha declarado à presente geração a tua força e às vindouras o teu poder.
  19. Ora, a tua justiça, ó Deus, se eleva até aos céus. Grandes coisas tens feito, ó Deus; quem é semelhante a ti?
  20. Tu, que me tens feito ver muitas angústias e males, me restaurarás ainda a vida e de novo me tirarás dos abismos da terra.
  21. Aumenta a minha grandeza, conforta-me novamente.
  22. Eu também te louvo com a lira, celebro a tua verdade, ó meu Deus; cantar-te-ei salmos na harpa, ó Santo de Israel.
  23. Os meus lábios exultarão quando eu te salmodiar; também exultará a minha alma, que remiste.
  24. Igualmente a minha língua celebrará a tua justiça todo o dia; pois estão envergonhados e confundidos os que procuram o mal contra mim.

Salmo 70: Petição por auxílio divino

Ao mestre de canto. De Davi. Em memória.

  1. Praza-te, ó Deus, em livrar-me; dá-te pressa, ó SENHOR, em socorrer-me.
  2. Sejam envergonhados e cobertos de vexame os que me demandam a vida; tornem atrás e cubram-se de ignomínia os que se comprazem no meu mal.
  3. Retrocedam por causa da sua ignomínia os que dizem: Bem-feito! Bem-feito!
  4. Folguem e em ti se rejubilem todos os que te buscam; e os que amam a tua salvação digam sempre: Deus seja magnificado!
  5. Eu sou pobre e necessitado; ó Deus, apressa-te em valer-me, pois tu és o meu amparo e o meu libertador. SENHOR, não te detenhas!

Salmo 69: O lamento do Messias

Ao mestre de canto. Segundo a melodia “Os lírios”. De Davi.

  1. Salva-me, ó Deus, porque as águas me sobem até à alma.
  2. Estou atolado em profundo lamaçal, que não dá pé; estou nas profundezas das águas, e a corrente me submerge.
  3. Estou cansado de clamar, secou-se-me a garganta; os meus olhos desfalecem de tanto esperar por meu Deus.
  4. São mais que os cabelos de minha cabeça os que, sem razão, me odeiam; são poderosos os meus destruidores, os que com falsos motivos são meus inimigos; por isso, tenho de restituir o que não furtei.
  5. Tu, ó Deus, bem conheces a minha estultice, e as minhas culpas não te são ocultas.
  6. Não sejam envergonhados por minha causa os que esperam em ti, ó SENHOR, Deus dos Exércitos; nem por minha causa sofram vexame os que te buscam, ó Deus de Israel.
  7. Pois tenho suportado afrontas por amor de ti, e o rosto se me encobre de vexame.
  8. Tornei-me estranho a meus irmãos e desconhecido aos filhos de minha mãe.
  9. Pois o zelo da tua casa me consumiu, e as injúrias dos que te ultrajam caem sobre mim.
  10. Chorei, em jejum está a minha alma, e isso mesmo se me tornou em afrontas.
  11. Pus um pano de saco por veste e me tornei objeto de escárnio para eles.
  12. Tagarelam sobre mim os que à porta se assentam, e sou motivo para cantigas de beberrões.
  13. Quanto a mim, porém, SENHOR, faço a ti, em tempo favorável, a minha oração. Responde-me, ó Deus, pela riqueza da tua graça; pela tua fidelidade em socorrer,
  14. livra-me do tremedal, para que não me afunde; seja eu salvo dos que me odeiam e das profundezas das águas.
  15. Não me arraste a corrente das águas, nem me trague a voragem, nem se feche sobre mim a boca do poço.
  16. Responde-me, SENHOR, pois compassiva é a tua graça; volta-te para mim segundo a riqueza das tuas misericórdias.
  17. Não escondas o rosto ao teu servo, pois estou atribulado; responde-me depressa.
  18. Aproxima-te de minha alma e redime-a; resgata-me por causa dos meus inimigos.
  19. Tu conheces a minha afronta, a minha vergonha e o meu vexame; todos os meus adversários estão à tua vista.
  20. O opróbrio partiu-me o coração, e desfaleci; esperei por piedade, mas debalde; por consoladores, e não os achei.
  21. Por alimento me deram fel e na minha sede me deram a beber vinagre.
  22. Sua mesa torne-se-lhes diante deles em laço, e a prosperidade, em armadilha.
  23. Obscureçam-se-lhes os olhos, para que não vejam; e faze que sempre lhes vacile o dorso.
  24. Derrama sobre eles a tua indignação, e que o ardor da tua ira os alcance.
  25. Fique deserta a sua morada, e não haja quem habite as suas tendas.
  26. Pois perseguem a quem tu feriste e acrescentam dores àquele a quem golpeaste.
  27. Soma-lhes iniqüidade à iniqüidade, e não gozem da tua absolvição.
  28. Sejam riscados do Livro dos Vivos e não tenham registro com os justos.
  29. Quanto a mim, porém, amargurado e aflito, ponha-me o teu socorro, ó Deus, em alto refúgio.
  30. Louvarei com cânticos o nome de Deus, exaltá-lo-ei com ações de graças.
  31. Será isso muito mais agradável ao SENHOR do que um boi ou um novilho com chifres e unhas.
  32. Vejam isso os aflitos e se alegrem; quanto a vós outros que buscais a Deus, que o vosso coração reviva.
  33. Porque o SENHOR responde aos necessitados e não despreza os seus prisioneiros.
  34. Louvem-no os céus e a terra, os mares e tudo quanto neles se move.
  35. Porque Deus salvará Sião e edificará as cidades de Judá, e ali habitarão e hão de possuí-la.
  36. Também a descendência dos seus servos a herdará, e os que lhe amam o nome nela habitarão.

Salmo 68: A vitória de Deus sobre os seus inimigos

Ao mestre de canto. Salmo de Davi. Cântico.

  1. Levanta-se Deus; dispersam-se os seus inimigos; de sua presença fogem os que o aborrecem.
  2. Como se dissipa a fumaça, assim tu os dispersas; como se derrete a cera ante o fogo, assim à presença de Deus perecem os iníquos.
  3. Os justos, porém, se regozijam, exultam na presença de Deus e folgam de alegria.
  4. Cantai a Deus, salmodiai o seu nome; exaltai o que cavalga sobre as nuvens. SENHOR é o seu nome, exultai diante dele.
  5. Pai dos órfãos e juiz das viúvas é Deus em sua santa morada.
  6. Deus faz que o solitário more em família; tira os cativos para a prosperidade; só os rebeldes habitam em terra estéril.
  7. Ao saíres, ó Deus, à frente do teu povo, ao avançares pelo deserto,
  8. tremeu a terra; também os céus gotejaram à presença de Deus; o próprio Sinai se abalou na presença de Deus, do Deus de Israel.
  9. Copiosa chuva derramaste, ó Deus, para a tua herança; quando já ela estava exausta, tu a restabeleceste.
  10. Aí habitou a tua grei; em tua bondade, ó Deus, fizeste provisão para os necessitados.
  11. O Senhor deu a palavra, grande é a falange das mensageiras das boas-novas.
  12. Reis de exércitos fogem e fogem; a dona de casa reparte os despojos.
  13. Por que repousais entre as cercas dos apriscos? As asas da pomba são cobertas de prata, cujas penas maiores têm o brilho flavo do ouro.
  14. Quando o Todo-Poderoso ali dispersa os reis, cai neve sobre o monte Zalmom.
  15. O monte de Deus é Basã, serra de elevações é o monte de Basã.
  16. Por que olhais com inveja, ó montes elevados, o monte que Deus escolheu para sua habitação? O SENHOR habitará nele para sempre.
  17. Os carros de Deus são vinte mil, sim, milhares de milhares. No meio deles, está o Senhor; o Sinai tornou-se em santuário.
  18. Subiste às alturas, levaste cativo o cativeiro; recebeste homens por dádivas, até mesmo rebeldes, para que o SENHOR Deus habite no meio deles.
  19. Bendito seja o Senhor que, dia a dia, leva o nosso fardo! Deus é a nossa salvação.
  20. O nosso Deus é o Deus libertador; com Deus, o SENHOR, está o escaparmos da morte.
  21. Sim, Deus parte a cabeça dos seus inimigos e o cabeludo crânio do que anda nos seus próprios delitos.
  22. Disse o Senhor: De Basã os farei voltar, fá-los-ei tornar das profundezas do mar,
  23. para que banhes o pé em sangue, e a língua dos teus cães tenha o seu quinhão dos inimigos.
  24. Viu-se, ó Deus, o teu cortejo, o cortejo do meu Deus, do meu Rei, no santuário.
  25. Os cantores iam adiante, atrás, os tocadores de instrumentos de cordas, em meio às donzelas com adufes.
  26. Bendizei a Deus nas congregações, bendizei ao SENHOR, vós que sois da estirpe de Israel.
  27. Ali, está o mais novo, Benjamim, que os precede, os príncipes de Judá, com o seu séquito, os príncipes de Zebulom e os príncipes de Naftali.
  28. Reúne, ó Deus, a tua força, força divina que usaste a nosso favor,
  29. oriunda do teu templo em Jerusalém. Os reis te oferecerão presentes.
  30. Reprime a fera dos canaviais, a multidão dos fortes como touros e dos povos com novilhos; calcai aos pés os que cobiçam barras de prata. Dispersa os povos que se comprazem na guerra.
  31. Príncipes vêm do Egito; a Etiópia corre a estender mãos cheias para Deus.
  32. Reinos da terra, cantai a Deus, salmodiai ao Senhor,
  33. àquele que encima os céus, os céus da antiguidade; eis que ele faz ouvir a sua voz, voz poderosa.
  34. Tributai glória a Deus; a sua majestade está sobre Israel, e a sua fortaleza, nos espaços siderais.
  35. Ó Deus, tu és tremendo nos teus santuários; o Deus de Israel, ele dá força e poder ao povo. Bendito seja Deus!

Comentários da Oração do Pai Nosso

Cristão: Pai nosso que estais no céu…
Deus: Sim? Estou aqui.

Cristão: Por favor, não me interrompa, estou rezando!
Deus: Mas você me chamou!

Cristão: Chamei? Eu não chamei ninguém. Estou rezando! Pai nosso que estás no céu…
Deus: Aí, você chamou de novo.

Cristão: Fiz o que?
Deus: Me chamou. Você disse: Pai nosso que estais no céu. Estou aqui. Comoé que posso ajudá-lo?

Cristão: Mas eu não quis dizer isso. É que estou rezando. Rezo o Pai Nosso todos os dias, me sinto bem rezando assim. É como se fosse um dever. E não me sinto bem até cumpri-lo…
Deus: Mas como pode dizer Pai Nosso, sem lembrar que todos são seus
irmãos, como pode dizer que estais no céu, se você não sabe que o céu é a paz, que o céu é amor a todos?

Cristão: É, realmente ainda não havia pensado nisso.
Deus: Mas, prossiga sua oração.

Cristão: Santificado seja o Vosso nome…
Deus: Espere aí! O que você quer dizer com isso?

Cristão: Quero dizer…quer dizer, é…sei lá o que significa. Como é que
vou saber? Faz parte da oração, só isso!
Deus: Santificado significa digno de respeito, Santo, Sagrado.

Cristão: Agora entendi. Mas nunca havia pensado no sentido dessa palavra
SANTIFICADO .”Venha a nós o vosso reino, seja feita a vossa vontade, assimna terra como no céu…”
Deus: Está falando sério?

Cristão: Claro! Por que não?
Deus: E o que você faz para que isso aconteça?

Cristão: O que faço? Nada! É que faz parte da oração, além disso seria bom que o Senhor tivesse um controle de tudo o que acontecesse no céu e na terra também.
Deus: Tenho controle sobre você?

Cristão:
Bem, eu freqüento a igreja!
Deus: Não foi isso que Eu perguntei. Que tal o jeito que você trata os
seus irmãos, a maneira com que você gasta o seu dinheiro, o muito tempo que você dá à televisão, as propagandas que você corre atrás, e o pouco tempo que você dedica à Mim?

Cristão: Por favor. Pare de criticar!
Deus: Desculpe. Pensei que você estava pedindo para que fosse feita a
minha vontade. Se isso for acontecer tem que ser com aqueles que rezam, mas que aceitam a minha vontade, o frio, o sol, a chuva, a natureza, a comunidade.

Cristão: Está certo, tens razão. Acho que nunca aceito a sua vontade, pois reclamo de tudo: se manda chuva, peço sol, se manda o sol reclamo do calor,se manda frio, continuo reclamando, se estou doente peço saúde, não cuido dela, deixo de me alimentar ou como muito…
Deus: Ótimo reconhecer tudo isso. Vamos trabalhar juntos Eu e você, mas olha, vamos ter vitórias e derrotas. Eu estou gostando dessa nova atitude sua.

Cristão: Olha Senhor, preciso terminar agora. Esta oração está demorando muito mais do que costuma ser. Vou continuar: “o pão nosso de cada dia nos daí hoje…”
Deus: Pare aí! Você está me pedindo pão material? Não só de pão vive o
homem, mas também da minha palavra. Quando me pedires o pão, lembra-te daqueles que nem conhecem pão. Pode pedir-me o que quiser, desde que me veja como um Pai amoroso! Eu estou interessado na próxima parte de sua oração. Continue!

Cristão: “Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido…”
Deus: E o seu irmão desprezado?

Cristão:
Está vendo? Olhe Senhor, ele me já criticou várias vezes e não
era verdade o que dizia. Agora não consigo perdoar. Preciso me vingar.
Deus: Mas, e sua oração? O que quer dizer sua oração?
Você me chamou, e eu estou aqui, quero que saias daqui transfigurado, estou gostando de você ser honesto. Mas não é bom carregar o peso da ira dentro de você, não acha?

Cristão: Acho que iria me sentir melhor se me vingasse!
Deus: Não vai não! Vai se sentir pior. A vingança não é tão doce quanto
parece. Pense na tristeza que me causaria, pense na sua tristeza agora. Eu posso mudar tudo para você. Basta você querer.

Cristão: Pode? Mas como?
Deus: Perdoa seu irmão, Eu perdoarei você e o aliviarei.

Cristão: Mas Senhor, eu não posso perdoá-lo.
Deus: Então não me peça perdão também!

Cristão: Mais uma vez está certo! Mais do que quero vingar-me, quero a paz com o Senhor. Está bem, está bem; eu perdôo a todos, mas ajuda-me Senhor. Mostra-me o caminho certo para mim e meus inimigos.
Deus: Isto que você pede é maravilhoso, estou muito feliz com você. E você como está se sentindo?

Cristão: Bem, muito bem mesmo! Para falar a verdade, nunca havia me
sentido assim! É tão bom falar com Deus.
Deus: Ainda não terminamos a oração. Prossiga…

Cristão:
“E não deixeis cair em tentações, mas livrai-nos do mal…”
Deus: Ótimo, vou fazer justamente isso, mas não se ponha em situações onde possa ser tentado.

Cristão: O que quer dizer com isso?
Deus: Deixe de andar na companhia de pessoas que o levam a participar de coisas sujas, intrigas, fofocas. Abandone a maldade, o
ódio. Isso tudo vai levá-lo para o caminho errado. Não use tudo isso como saída de emergência!

Cristão:
Não estou entendendo!
Deus: Claro que entende! Você já fez isso comigo várias vezes. Entra no
erro, depois corre a me pedir socorro.

Cristão:
Puxa, como estou envergonhado!
Deus: Você me pede ajuda, mas logo em seguida volta a errar de novo, para mais uma vez vir fazer negócios comigo!

Cristão:
Estou com muita vergonha, perdoa-me Senhor!
Deus: Claro que perdôo! Sempre perdôo a quem está disposto a perdoar também, mas não esqueça, quando me chamar, lembre-se de nossa conversa, medite cada palavra que fala! Termine sua oração.

Cristão: Terminar? Ah, sim, “Amém!”
Deus:O que quer dizer amém?

Cristão: Não sei. É o final da oração.
Deus: Você só deve dizer amém quando aceita dizer tudo o que eu quero, quando concorda com minha vontade, quando segue os meus mandamentos, porque AMÉM quer dizer: assim seja, concordo com tudo que rezei.

Cristão: Senhor, obrigado por ensinar-me esta oração e agora obrigado por fazer-me entendê-la.
Deus: Eu amo cada um dos meus filhos, amo mais ainda aqueles que querem sair do erro, quer ser livre do pecado. Abençôo-te e fica
com minha paz!

Cristão: Obrigado, Senhor! Estou muito feliz em saber que és meu amigo.

Oração da Vitória

Vem, Espírito Santo, e ilumina nossa mente com a luz do céu. Remove todos os obstáculos que possam existir em nós e que nos impeçam de caminhar na luz.
Enche-nos de esperança renovada.

Fortalece-nos para que possamos permanecer firmes na verdade de Cristo.
Ajuda-nos a usar com sabedoria os dons recebidos, para a honra e glória de Deus.
Senhor Jesus, nós Te convidamos a entrar em nosso coração e em nossa alma, em nosso corpo e em nossa mente. Pedimos-te que caminhes conosco em nossa jornada por este mundo repleto de pecado e de escuridão. Ajuda-nos a ficar sempre em união Contigo e com o Espírito Santo. Que nossa vontade se una à Tua para fazer a vontade de Teu Pai, do nosso Pai Celestial.

Amado Pai, humildemente nos submetemos a Ti e pedimos que vales por nós e nos protejas de todo mal. Aceitamos prontamente tudo aquilo que, em Tua Providência, nos tens dado. Nós Te amamos e sabemos que Tu nos amas. Ajuda-nos a conhecer cada vez mais o amor à medida que somos iluminados pela luz de Cristo.

Maria, Mãe querida, pedimos que tu venhas e fiques conosco. Nós te convidamos a entrar em nosso coração e pedimos que nos conduzas cada vez para mais perto do teu Filho e nosso Salvador, Jesus Cristo. Como nossa Mãe no céu, vela por nós e envia teus anjos para que nos guardem e nos protejam.

Pedimos que conduzas os santos a constantemente intercederem por nós junto ao Pai. Pedimos que, como nossa Mãe amadíssima, intercedas sempre por nós junto às três pessoas da Santíssima Trindade, de modo que possamos caminhar fiel e vitoriosamente no caminho da vida. Oramos em nome de Jesus.

Amém! Aleluia! Amém!

Oração do Credo

Creio em Deus-Pai, todo poderoso,
criador do céu e da terra
e em Jesus cristo seu único filho, Nosso Senhor
que foi concebido pelo poder do Espírito Santo
nasceu da Virgem Maria
Padeceu sob Poncio Pílatos
Foi crucificado, morto e sepultado
desceu a mansão dos mortos
ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos céus
está sentado à direita de Deus Pai todo poderoso
de onde há de vir a julgar os vivos e os mortos
Creio no Espírioto Santo,
na Santa Igreja Católica
na comunhão dos Santos
Na remissão dos pecados
na ressurreição da carne
na vida eterna

Amém.