Por Misael. Arquivado em São Jorge

Imagem de São Jorge São Jorge nasceu na Capadócia no ano de 280. No final do século III, o cristão Jorge trocou a Capadócia, na Turquia, pela Palestina, vindo a ingressar no exército de Diocleciano. Jorge logo se destacou, sendo elevado a conde e depois a tribuno militar. Tudo ia bem, até que as perseguições aos seguidores de Cristo reiniciaram. O rapaz não quis negar sua fé, fazendo com que Diocleciano se sentisse traído. O imperador, então, condenou-o às mais terríveis torturas. E Jorge consegiu vencer a todas elas.

Suportando uma dor atrás da outra, o filho da Capadócia suportou as lanças dos soldados, permaneceu firme sob o peso de uma imensa pedra, obteve a cicatrização imediata das navalhadas que recebeu e resistiu ao calor de uma fornalha de cal. A cada vitória sobre as torturas, Jorge ia convertendo mais e mais soldados.

O imperador, contrariado, chamou um mago para acabar com a força de Jorge. O santo tomou duas poções e, mesmo assim, manteve-se firme e vivo. O feiticeiro juntou-se à lista dos convertidos, assim como a própria esposa do imperador.

Estas duas últimas “traições” levaram Diocleciano a mandar degolar o ex-soldado em 23 de abril de 303. Conta-se ainda que o bravo militar matou um dragão para salvar a filha do rei de Selena e todos os habitantes desta cidade Líbia. Lenda ou realidade, o fato é que São Jorge nos lembra que todos nós temos algum desafio a vencer nesta vida, seja o nosso orgulho, o nosso egoísmo ou mesmo problemas que nos afetam no dia-a-dia. Como ele, devemos permanecer fortes e corajosos, independentes dos desafios que a vida nos traga. Assim, como Jorge, havemos de vencer.

  • Sincretismo de São Jorge: Ogún-RJ / Oxôssi-BA
  • Devoção de São Jorge: Protetor dos perseguidos por espíritos maus e falsos amigos.
  • Data Comemorativa: 23 de Abril

Por Misael. Arquivado em Salmos

Ao mestre de canto. Salmo de Davi.

  1. SENHOR, tu me sondas e me conheces.
  2. Sabes quando me assento e quando me levanto; de longe penetras os meus pensamentos.
  3. Esquadrinhas o meu andar e o meu deitar e conheces todos os meus caminhos.
  4. Ainda a palavra me não chegou à língua, e tu, SENHOR, já a conheces toda.
  5. Tu me cercas por trás e por diante e sobre mim pões a mão.
  6. Tal conhecimento é maravilhoso demais para mim: é sobremodo elevado, não o posso atingir.
  7. Para onde me ausentarei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face?
  8. Se subo aos céus, lá estás; se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também;
  9. se tomo as asas da alvorada e me detenho nos confins dos mares,
  10. ainda lá me haverá de guiar a tua mão, e a tua destra me susterá.
  11. Se eu digo: as trevas, com efeito, me encobrirão, e a luz ao redor de mim se fará noite,
  12. até as próprias trevas não te serão escuras: as trevas e a luz são a mesma coisa.
  13. Pois tu formaste o meu interior tu me teceste no seio de minha mãe.
  14. Graças te dou, visto que por modo assombrosamente maravilhoso me formaste; as tuas obras são admiráveis, e a minha alma o sabe muito bem;
  15. os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado e entretecido como nas profundezas da terra.
  16. Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda.
  17. Que preciosos para mim, ó Deus, são os teus pensamentos! E como é grande a soma deles!
  18. Se os contasse, excedem os grãos de areia; contaria, contaria, sem jamais chegar ao fim.
  19. Tomara, ó Deus, desses cabo do perverso; apartai-vos, pois, de mim, homens de sangue.
  20. Eles se rebelam insidiosamente contra ti e como teus inimigos falam malícia.
  21. Não aborreço eu, SENHOR, os que te aborrecem? E não abomino os que contra ti se levantam?
  22. Aborreço-os com ódio consumado; para mim são inimigos de fato.
  23. Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos;
  24. vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno.

Por Misael. Arquivado em Salmos

Salmo de Davi.

  1. Render-te-ei graças, SENHOR, de todo o meu coração; na presença dos poderosos te cantarei louvores.
  2. Prostrar-me-ei para o teu santo templo e louvarei o teu nome, por causa da tua misericórdia e da tua verdade, pois magnificaste acima de tudo o teu nome e a tua palavra.
  3. No dia em que eu clamei, tu me acudiste e alentaste a força de minha alma.
  4. Render-te-ão graças, ó SENHOR, todos os reis da terra, quando ouvirem as palavras da tua boca,
  5. e cantarão os caminhos do SENHOR, pois grande é a glória do SENHOR.
  6. O SENHOR é excelso, contudo, atenta para os humildes; os soberbos, ele os conhece de longe.
  7. Se ando em meio à tribulação, tu me refazes a vida; estendes a mão contra a ira dos meus inimigos; a tua destra me salva.
  8. O que a mim me concerne o SENHOR levará a bom termo; a tua misericórdia, ó SENHOR, dura para sempre; não desampares as obras das tuas mãos.

Por Misael. Arquivado em Salmos

  1. Às margens dos rios da Babilônia, nós nos assentávamos e chorávamos, lembrando-nos de Sião.
  2. Nos salgueiros que lá havia, pendurávamos as nossas harpas,
  3. pois aqueles que nos levaram cativos nos pediam canções, e os nossos opressores, que fôssemos alegres, dizendo: Entoai-nos algum dos cânticos de Sião.
  4. Como, porém, haveríamos de entoar o canto do SENHOR em terra estranha?
  5. Se eu de ti me esquecer, ó Jerusalém, que se resseque a minha mão direita.
  6. Apegue-se-me a língua ao paladar, se me não lembrar de ti, se não preferir eu Jerusalém à minha maior alegria.
  7. Contra os filhos de Edom, lembra-te, SENHOR, do dia de Jerusalém, pois diziam: Arrasai, arrasai-a, até aos fundamentos.
  8. Filha da Babilônia, que hás de ser destruída, feliz aquele que te der o pago do mal que nos fizeste.
  9. Feliz aquele que pegar teus filhos e esmagá-los contra a pedra.

Por Misael. Arquivado em Salmos

  1. Rendei graças ao SENHOR, porque ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre.
  2. Rendei graças ao Deus dos deuses, porque a sua misericórdia dura para sempre.
  3. Rendei graças ao Senhor dos senhores, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  4. ao único que opera grandes maravilhas, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  5. àquele que com entendimento fez os céus, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  6. àquele que estendeu a terra sobre as águas, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  7. àquele que fez os grandes luminares, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  8. o sol para presidir o dia, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  9. a lua e as estrelas para presidirem a noite, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  10. àquele que feriu o Egito nos seus primogênitos, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  11. e tirou a Israel do meio deles, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  12. com mão poderosa e braço estendido, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  13. àquele que separou em duas partes o mar Vermelho, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  14. e por entre elas fez passar a Israel, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  15. mas precipitou no mar Vermelho a Faraó e ao seu exército, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  16. àquele que conduziu o seu povo pelo deserto, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  17. àquele que feriu grandes reis, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  18. e tirou a vida a famosos reis, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  19. a Seom, rei dos amorreus, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  20. e a Ogue, rei de Basã, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  21. cujas terras deu em herança, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  22. em herança a Israel, seu servo, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  23. a quem se lembrou de nós em nosso abatimento, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  24. e nos libertou dos nossos adversários, porque a sua misericórdia dura para sempre;
  25. e dá alimento a toda carne, porque a sua misericórdia dura para sempre.
  26. Oh! Tributai louvores ao Deus dos céus, porque a sua misericórdia dura para sempre.

Por Misael. Arquivado em Salmos

  1. Aleluia! Louvai o nome do SENHOR; louvai-o, servos do SENHOR,
  2. vós que assistis na Casa do SENHOR, nos átrios da casa do nosso Deus.
  3. Louvai ao SENHOR, porque o SENHOR é bom; cantai louvores ao seu nome, porque é agradável.
  4. Pois o SENHOR escolheu para si a Jacó e a Israel, para sua possessão.
  5. Com efeito, eu sei que o SENHOR é grande e que o nosso Deus está acima de todos os deuses.
  6. Tudo quanto aprouve ao SENHOR, ele o fez, nos céus e na terra, no mar e em todos os abismos.
  7. Faz subir as nuvens dos confins da terra, faz os relâmpagos para a chuva, faz sair o vento dos seus reservatórios.
  8. Foi ele quem feriu os primogênitos no Egito, tanto dos homens como das alimárias;
  9. quem, no meio de ti, ó Egito, operou sinais e prodígios contra Faraó e todos os seus servos;
  10. quem feriu muitas nações e tirou a vida a poderosos reis:
  11. a Seom, rei dos amorreus, e a Ogue, rei de Basã, e a todos os reinos de Canaã;
  12. cujas terras deu em herança, em herança a Israel, seu povo.
  13. O teu nome, SENHOR, subsiste para sempre; a tua memória, SENHOR, passará de geração em geração.
  14. Pois o SENHOR julga ao seu povo e se compadece dos seus servos.
  15. Os ídolos das nações são prata e ouro, obra das mãos dos homens.
  16. Têm boca e não falam; têm olhos e não vêem;
  17. têm ouvidos e não ouvem; pois não há alento de vida em sua boca.
  18. Como eles se tornam os que os fazem, e todos os que neles confiam.
  19. Casa de Israel, bendizei ao SENHOR; casa de Arão, bendizei ao SENHOR;
  20. casa de Levi, bendizei ao SENHOR; vós que temeis ao SENHOR, bendizei ao SENHOR.
  21. Desde Sião bendito seja o SENHOR, que habita em Jerusalém! Aleluia!

Por Misael. Arquivado em Salmos

Cântico de romagem

  1. Bendizei ao SENHOR, vós todos, servos do SENHOR, que assistis na Casa do SENHOR, nas horas da noite;
  2. erguei as mãos para o santuário e bendizei ao SENHOR.
  3. De Sião te abençoe o SENHOR, criador do céu e da terra!

Por Misael. Arquivado em Salmos

Cântico de romagem. De Davi.

  1. Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos!
  2. É como o óleo precioso sobre a cabeça, o qual desce para a barba, a barba de Arão, e desce para a gola de suas vestes.
  3. É como o orvalho do Hermom, que desce sobre os montes de Sião. Ali, ordena o SENHOR a sua bênção e a vida para sempre.

Por Misael. Arquivado em Salmos

Cântico de romagem.

  1. Lembra-te, SENHOR, a favor de Davi, de todas as suas provações;
  2. de como jurou ao SENHOR e fez votos ao Poderoso de Jacó:
  3. Não entrarei na tenda em que moro, nem subirei ao leito em que repouso,
  4. não darei sono aos meus olhos, nem repouso às minhas pálpebras,
  5. até que eu encontre lugar para o SENHOR, morada para o Poderoso de Jacó.
  6. Ouvimos dizer que a arca se achava em Efrata e a encontramos no campo de Jaar.
  7. Entremos na sua morada, adoremos ante o estrado de seus pés.
  8. Levanta-te, SENHOR, entra no lugar do teu repouso, tu e a arca de tua fortaleza.
  9. Vistam-se de justiça os teus sacerdotes, e exultem os teus fiéis.
  10. Por amor de Davi, teu servo, não desprezes o rosto do teu ungido.
  11. O SENHOR jurou a Davi com firme juramento e dele não se apartará: Um rebento da tua carne farei subir para o teu trono.
  12. Se os teus filhos guardarem a minha aliança e o testemunho que eu lhes ensinar, também os seus filhos se assentarão para sempre no teu trono.
  13. Pois o SENHOR escolheu a Sião, preferiu-a por sua morada:
  14. Este é para sempre o lugar do meu repouso; aqui habitarei, pois o preferi.
  15. Abençoarei com abundância o seu mantimento e de pão fartarei os seus pobres.
  16. Vestirei de salvação os seus sacerdotes, e de júbilo exultarão os seus fiéis.
  17. Ali, farei brotar a força de Davi; preparei uma lâmpada para o meu ungido.
  18. Cobrirei de vexame os seus inimigos; mas sobre ele florescerá a sua coroa.

Por Misael. Arquivado em Salmos

Cântico de romagem. De Davi.

  1. SENHOR, não é soberbo o meu coração, nem altivo o meu olhar; não ando à procura de grandes coisas, nem de coisas maravilhosas demais para mim.
  2. Pelo contrário, fiz calar e sossegar a minha alma; como a criança desmamada se aquieta nos braços de sua mãe, como essa criança é a minha alma para comigo.
  3. Espera, ó Israel, no SENHOR, desde agora e para sempre.
Tema modificado por Carioca no Cerrado