Por Misael. Arquivado em São Francisco de Assis

Imagem de São Francisco de AssisMuito do que se sabe sobre a vida de Francisco de Assis provém da obra I fioretti di san Francesco (As florezinhas de são Francisco), tradução em língua vulgar toscana de um trecho em latim atribuído ao frade Ugolino da Montegiorgio.

Giovanni di Pietro di Bernardone, nome verdadeiro de são Francisco, nasceu em 1181 ou 1182 em Assis, Itália, cidade então integrada ao território do ducado de Spoleto. Seu pai, rico negociante que estava na França quando o filho nasceu, rebatizou-o com o nome de Francesco, isto é, “francês”. O futuro fundador da Ordem dos Frades Menores passou a infância na cidade natal e sua primeira juventude foi alegre e despreocupada. Cordial, expansivo e de uma vitalidade exuberante, destacava-se entre seus jovens companheiros.

Lutou na guerra entre Assis e Perugia e, em 1202, foi capturado e mantido prisioneiro por quase um ano. Em 1205, em Spoleto, teve uma visão que o fez regressar a Assis para tomar um rumo muito diferente do que lhe indicavam as armas. Entregou-se a um severo ascetismo e, um dia, ouviu do crucifixo da igreja de são Damião de Assis a ordem de reformar a igreja, que estava quase em ruínas. Francisco concentrou todos os seus esforços e toda sua fortuna a essa tarefa. Entrou em choque com o pai e, na presença deste, renunciou a seus bens e fez voto de pobreza absoluta.

Outros jovens logo se juntaram a Francisco, que, por volta de 1210, foi a Roma com 11 companheiros para pedir ao papa que aprovasse sua regra de vida, no que Inocêncio III assentiu, autorizando-lhe a pregar a penitência e a adotar a designação de “irmãos menores”. A nova comunidade religiosa pregava a pureza espiritual, o desprendimento dos bens terrenos e a identificação com os sentimentos de paz e alegria. De volta a Assis, o grupo instalou-se em Porciúncula, primeiro convento da ordem franciscana, situado fora dos limites da cidade.

Em 1215, o IV Concílio de Latrão reconheceu canonicamente a ordem. Entrementes, seu fundador, que não pudera levar avante seu desejo de pregar na Síria e no Marrocos, pôde ir ao Egito, durante o sítio de Damieta pelos cruzados. Pregou ante o sultão dos sarracenos, que, segundo a lenda, de tão impressionado, autorizou Francisco a visitar os santos lugares.

Em 1223 o papa Honório III aprovou a regra franciscana e, no ano seguinte, deu-se a “estigmatização” de são Francisco: apareceram-lhe nas mãos, pés e costas chagas semelhantes às de Cristo na cruz, marcas que ele tudo fez para esconder até a morte. A partir daí, ficou quase cego, devido a uma doença oftalmológica contraída no Oriente. Uma estada em Rieti para tratamento de nada lhe valeu e, depois de uma temporada em Siena, Francisco foi levado de volta a Assis. Morreu em Assis, em 3 de outubro de 1226. Sepultado temporariamente na igreja de São Jorge, em 1230 seus restos foram trasladados para a igreja inferior da basílica edificada em sua memória na mesma cidade. São Francisco foi canonizado em 1232, e é festejado a 4 de outubro.

  • Sincretismo de São Francisco de Assis: Falange de Preto velho de Mesa.
  • Devoção de São Francisco de Assis: Para preservar de infortúnios, doenças, prejuízos ou obter a cura de uma doença grave, prolongada ou crônica, da própria pessoa, de parente ou conhecido.
  • Data Comemorativa: 04 de Outubro.

Por Misael. Arquivado em Orações, Santa Rita de Cássia

Oh! Beata Santa Rita dos impossíveis, vós que conheceis um coração angustiado interceda junto ao Pai por mim (Fazer o pedido). Eu vos louvo para sempre curvando-me diante de vós.

(Rezar um Pai Nosso, uma Ave Maria, um Glória ao Pai)

Prece: Confio em Deus com toda a minha força e peço que ilumine meu caminho e a minha vida.

“Tudo é possível quando se tem fé.”

Por Misael. Arquivado em São Lázaro

Imagem de São LázaroSão Lázaro vivia em Betânia e era irmão de Marta e de Maria. Morto e sepultado, jesus o fez sair do túmulo, restituindo-lhe a vida, quando todas as esperanças já se achavam perdidas. O epsódio é narrado apenas pelo envangelhista João, mostrando que Jesus é a ressurreição e a vida:  Quando Jesus chegou, já fazia quatro dias que Lázaro estava no túmulo. Betânia ficava perto de Jerusalém; uns três quilômetros apenas.

Muitos judeus tinham ido à casa de Marta e Maria para as consolar por causa do irmão. Quando Marta ouviu que Jesus estava chegando, foi ao encontro dele. Maria porém, ficou sentada em casa. Então Marta disse a Jesus: “Senhor, se estivesses aqui, meu irmão não teria morrido. Mas ainda agora eu sei: tudo que pedires a Deus, ele te dará”. Jesus disse: “Teu irmão vai ressuscitar”. Marta disse: “Eu sei que ele vai ressuscitar na ressurreição, no último dia”. Jesus disse: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem acredita em mim, mesmo que morra, viverá”.

Uma antiga tradição oriental afirma que São Lázaro foi bispo de Chipre. No século X, no ano 900, o imperador Leão VI teria transportar suas relíquias de Chipre para Constantinopla. Também os franceses afirmam ter sido ele o bispo de Marselha e martirizado durante a perseguição de Nero.

  • Sincretismo de São Lázaro: Omulú.
  • Devoção de São Lázaro: Invocado para afastar das dores, doenças e qualquer tipo de mal. Também é o padroeiro dos pobres.
  • Data Comemorativa: 17 de Dezembro.

Por Misael. Arquivado em Orações

Senhor,
Quando eu tiver fome, dai-me alguém que necessite de comida;
Quando eu tiver sede, dai-me alguém que precise de água;
Quando sentir frio, dai-me alguém que necessite de calor.
Quando tiver um aborrecimento, dai-me alguém que necessite de consolo;
Quando minha cruz parecer pesada, dai-me compartilhar a cruz do outro;
Quando me achar pobre, ponde a meu lado alguém necessitado.
Quando não tiver tempo, dai-me alguém que precise de alguns dos meus minutos;
Quando sofrer humilhação, dai-me ocasião para elogiar alguém;
Quando estiver desanimada, dai-me alguém para lhe dar novo ânimo.
Quando sentir necessidade da compreensão dos outros, dai-me alguém que necessite da minha;
Quando sentir necessidade de que cuidem de mim, dai-me alguém que eu tenha de atender;
Quando pensar em mim mesma, voltai minha atenção para outra pessoa.
Tornai-nos dignos, Senhor, de servir nossos irmãos que vivem e morrem pobres e com fome no mundo de hoje.
Dai-lhes, através de nossas mãos, o pão de cada dia, e dai-lhes, graças ao nosso amor compassivo, a paz e a alegria. Amém.

Por Misael. Arquivado em Escrava Anastácia

Imagem de Escrava AnastáciaPelo pouco que se sabe desta grande mártir negra, que foi uma das inúmeras vítimas do regime de escravidão, no Brasil, pode-se dizer que seu calvário teve início em 9 de abril de 1740, por ocasião da chegada na cidade do Rio de Janeiro de um navio negreiro de nome Madalena, que vinha da África com carregamento de 112 negros Bantos, originários do Congo, para serem vendidos como escravos no Brasil .

Delminda, mãe de Anastácia, era uma jovem formosa e muito atraente pelos seus encantos pessoais, e, por ser muito jovem, ainda no cais do porto, foi arrematada por mil réis. Indefesa, esta donzela acabou sendo violentada, ficando grávida de um homem branco, motivo pelo qual Anastácia, sua filha, possuía olhos azuis, cujo nascimento se verificou em Pompeu, em 12 de maio, no centro-oeste mineiro.

Antes do nascimento de Anastácia, a sua mãe Delminda teria vivido, algum tempo, no estado da Bahia, onde ajudou a muitos escravos, fugitivos da brutalidade, a irem em busca da liberdade.

Anastácia por ser muito bonita, terminou sendo, também, sacrificada pela paixão bestial de um dos filhos de um feitor, não sem antes haver resistido bravamente o quanto pode a tais assédios; depois de ferozmente perseguida e torturada a violência sexual aconteceu. Apesar de toda circunstância adversa, Anastácia não deixou de sustentar a sua costumeira altivez e dignidade, sem jamais permitir que lhe tocassem, o que provocou o ódio dos brancos dominadores, que resolvem castigá-la ainda mais, colocando-lhe no rosto uma máscara de ferro, que só era retirada na hora de se alimentar, suportando este instrumento de supremo suplício por longos anos de sua dolorosa, mas heróica existência. As mulheres e as filhas dos senhores de escravos eram as que mais incentivavam a manutenção de tal máscara, porque morriam de inveja e de ciúmes da beleza da negra.

Morreu no Rio de Janeiro depois de anos de agonia. Seus restos mortais foram sepultados na Igreja do Rosário, mas desapareceram durante um incêndio que destruiu a igreja. De acordo com a crença popular, a Escrava Anastácia continua operando milagres.

As religiosas afro-brasileiras, particularmente, as ligadas à religião católica apostólica romana, gostariam de propor à Sua Santidade, o Papa, para que fosse beatificada ou santificada, dentro dos preceitos e dos ritos canônicos que regem este histórico e delicadíssimo processo.

  • Sincretismo de Escrava Anastácia: Não há.
  • Devoção de Escrava Anastácia: Culto Popular.
  • Data Comemorativa: 13 de Maio.

Por Misael. Arquivado em Escrava Anastácia, Orações

Vemos que algum algoz fez da tua vida um martírio, violou tiranicamente a tua mocidade, vemos também no teu semblante macio, no teu rosto suave, tranquilo, a paz que os sofrimentos não conseguiram perturbar.

Querida Anastácia: eras pura, superior, tanto assim que Deus levou-te para as planuras do céu e deu-te o poder de fazeres curas, graças e milagres.

Amada Anastácia, pedimos que (fazer o pedido), roga por nós, proteja-nos, envolva-nos no teu manto de graça e com teu olhar bondoso, firme, penetrante, afasta de nós os males do mundo.

Tudo que pedimos por Nosso Senhor Jesus Cristo na unidade do Espírito Santo.

Amém.

Por Misael. Arquivado em Orações, Santa Clara

Pela intercessão de Santa Clara, o Senhor Todo-Poderoso me abençoe e proteja, volte para mim os seus olhos misericordiosos, me dê a paz e a tranquilidade, derrame sobre mim as suas copiosas graças e depois desta vida, me aceite no céu em companhia de Santa Clara e de todos os santos.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Amém.

Por Misael. Arquivado em São Roque

Imagem de São RoqueSão Roque nasceu em Montpellier, no começo do século XIV. Aos 20 anos, ficou órfão de pai e de mãe. Distribuiu parte da sua herança aos pobres e parte confiou a um tio. Partiu depois em peregrinação para Roma. Durante a viagem procurava ajudar os necessitados, especialmente os doentes, vítimas da peste. Após muitos anos na Cidade Eterna, Roque retornou à terra natal. Durante a viagem, foi atacado pela peste. Para não contaminar ninguém, refugiou-se na floresta.
Contam que um cão roubava comida da mesa de um certo senhor e lhe levava cada manhã. Desta maneira ele foi descoberto.

Ao chegar em Montpellier, foi preso e levado diante do governador, que era seu tio, mas não o reconheceu. Esquecido por todos, morreu abandonado na prisão depois de cinco anos. Segundo a tradição popular, sua avó o reconheceu pela mancha em forma de cruz que trazia no peito.

  • Sincretismo de São Roque: Abaluaiê.
  • Devoção de São Roque: Protetor contra a peste, o contágio e a poluição.
  • Data Comemorativa: 16 de Agosto.

Por Misael. Arquivado em São Cristóvão

Imagem de São CristóvãoSão Cristóvão, mártir, foi e é um dos santos mais populares da igreja no oriente e no ocidente. Ele nasceu na Palestina, terra de Jesus Cristo. Viveu provavelmente na Síria e sofreu o martírio no século III. É uma figura lendária, suas façanhas são pintadas em cores vivas. Tudo que se sabe sobre ele é baseado em lendas e suposições, inclusive a data de seu nascimento. Diz-se que era um homem extraordinariamente forte e alto, por isso era soldado profissional trabalhando para quem melhor pagava.

Conta a lenda que trabalhou até para o diabo: estando a serviço de um general, descobriu que ele tinha medo do diabo e resolveu então mudar de dono e foi trabalhar para o mais forte. A serviço do diabo, descobriu que este tinha medo da cruz, indagando o porquê, descobriu que Cristo era o mais poderoso dos soberanos. Procurou então informações sobre ele, pois queria mudar de patrão, ir para o mais forte. E começou a estudar a religião com um eremita que foi lhe indicando o caminho para servir a Cristo: entregando-se à oração, à meditação, e às penitências. Aí, São Cristóvão objetou: “Não agüento jejuar e não tenho jeito para meditar e nem rezar”. O eremita então falou: “Existe outro meio então, é praticar obras de caridade. Já que és tão robusto e forte, ajuda as pessoas a atravessarem esse rio caudaloso que não tem ponte. Ofereça-se às pessoas para carregá-las de um lado para o outro. Terás a gratidão e orações dos beneficiados e Deus te recompensará”. Cristóvão gostou da idéia, construiu uma choupana na beira do rio e começou o seu transporte gratuito.

Conta a lenda que trabalhou até para o diabo: estando a serviço de um general, descobriu que ele tinha medo do diabo e resolveu então mudar de dono e foi trabalhar para o mais forte. A serviço do diabo, descobriu que este tinha medo da cruz, indagando o porquê, descobriu que Cristo era o mais poderoso dos soberanos. Procurou então informações sobre ele, pois queria mudar de patrão, ir para o mais forte. E começou a estudar a religião com um eremita que foi lhe indicando o caminho para servir a Cristo: entregando-se à oração, à meditação, e às penitências. Aí, São Cristóvão objetou: “Não agüento jejuar e não tenho jeito para meditar e nem rezar”. O eremita então falou: “Existe outro meio então, é praticar obras de caridade. Já que és tão robusto e forte, ajuda as pessoas a atravessarem esse rio caudaloso que não tem ponte. Ofereça-se às pessoas para carregá-las de um lado para o outro. Terás a gratidão e orações dos beneficiados e Deus te recompensará”. Cristóvão gostou da idéia, construiu uma choupana na beira do rio e começou o seu transporte gratuito.

“Cristóvão “significa “Aquele que carrega Cristo” ou “porta-Cristo”. Seu culto remonta ao século V. De acordo com uma lenda, Cristóvão era um gigante com mania de grandezas. ele supunha que o rei a quem ele servia era o maior do mundo. Veio a saber, então, que o maior rei do mundo era Satanás. Colocou-se pois, a serviço deste. Informando-se melhor, descobriu que o maior rei do mundo era Nosso Senhor. Um ermitão mostrou-lhe que a bondade era a coisa mais agradável ao Senhor. São Cristóvão resolveu trocar a sua mania de grandeza pelo serviço aos semelhantes. Valendo-se da imensa força de que era dotado, pôs-se a baldear pessoas, vadeando o rio. Uma noite, entretanto, um menino pediu-lhe que o transportasse à outra margem do rio. À medida que vadeava o rio, o menino pesava cada vez mais às suas costas, como se fosse o pedo do mundo inteiro. Diante de seu espanto, o menino lhe disse: “Tiveste às costas mais que o mundo inteiro. Transportasse o Criador de todas as coisas. Sou Jesus, aquele a quem serves”.

Diz a tradição que Cristóvão se fez apóstolo daquela região, Lícia, e que foi martirizado por volta de 250, sob o imperador Décio.

  • Sincretismo de São Cristóvão: Não há.
  • Devoção de São Cristóvão: Padroeiro dos motoristas e invocado em casos de flagelos da natureza.
  • Data Comemorativa: 25 de Julho.

Por Misael. Arquivado em São João

Imagem de São JoãoSão João era filho de Zebedeu e irmão de Tiago; pertenceu ao grupo dos Doze. Com Tiago era chamado Boanerges, ou seja, “filhos do trovão”. Faz parte dos discípulos mais achegados a Jesus (Pedro, Tiago) e foi testemunha da transfiguração, da cura da sogra de Pedro, da agonia no Getsêmani. Ele e Pedro prepararam a Páscoa. Juntamente com Tiago, pediu a Jesus que fizesse descer o fogo do céu sobre os samaritanos…

São Paulo o chama de uma das colunas a Igreja de Jerusalém. A tradição primitiva atribui a ele o Quarto Evangelho e as Epístolas de João, especialmente Santo Irineu, São Clemente de Alexandria, Tertuliano e Orígenes. O Evangelho de João mostra que Deus ama os homens e em Jesus dá-lhes a vida. Em Jesus vemos e compreendemos o que devemos ser, como devemos agir: sermos irmãos, colocando-nos aos serviços uns dos outros. Em sua carta, ele mostra o dinamismo do amor: não é possível amar a Deus sem amar o próximo, formando comunidade.

No entanto, acabou tornando-se conhecido como o “apóstolo do amor”, pois são dele as mais belas expressões sobre o amor, definindo “Deus é amor”. João esteve com Cristo nos seus últimos momentos na Cruz. Após a morte de Cristo, fundou igrejas na Ásia Menor e depois escreveu o Apocalipse, o Quarto Evangelho e três epístolas.

São João morreu em Éfeso, durante o governo do Imperador Trajano que ocorreu durante os anos 98 à 117.

  • Sincretismo de São João: Xangô Obomi para Doença.
  • Devoção de São João: Contra os maus e falsos amigos.
  • Data Comemorativa: 27 de Dezembro.
Tema modificado por Carioca no Cerrado